top of page

A tragédia do Rio Grande do Sul e seus efeitos na cadeia de suprimentos



Este mês estamos passando por uma das piores tragédias ambientais na história recente brasileira. As enchentes que devastaram o Rio Grande do Sul não são exclusivas do Brasil: inundações já aconteceram em países como Austrália, Estados Unidos e Holanda. Eventos como este causam impactos na cadeia de suprimentos que se estendem por todo território nacional e até internacional. Nesse artigo vamos explorar as disrupções da cadeia causadas por fatores externos, seus impactos e maneiras de amenizar os problemas causados.


Problemas existem - e nem sempre são previsíveis


Há quem diga que os eventos no Rio Grande do Sul poderiam ter sido prevenidos com manutenção dos sistemas de inundação, com diques maiores e sistemas de alerta mais robustos. Há também quem diga que o COVID poderia ter sido evitado com regulação chinesa sob os mercados públicos ou mesmo que a guerra na Ucrânia foi um conflito geopolítico evitável. Independente da imputabilidade desses eventos, eles aconteceram. E continuarão acontecendo e impactando cadeias de produção no mundo inteiro.


Por outro lado, existem problemas internos. A gestão de estoque inadequada pode levar a produtos em excesso ou em falta. Excesso de estoque resulta em custos de armazenamento e capital parado, enquanto a falta de estoque impede a empresa de atender à demanda do cliente.


As consequências diretas e indiretas


O primeiro impacto direto da interrupção da cadeia de suprimentos costuma ser em indústrias que possuem baixo estoque de produtos acabados ou matéria prima. Fornecedores deixam de entregar insumos e logo a produção estará parada. Os produtos em estoque são rapidamente destinados aos clientes e logo se esgotam. Sem matéria-prima a produção fica mais lenta e, consequentemente, mais cara. Os custos de produção aumentam e o preço de venda acompanha.


Um exemplo indireto é a interrupção da cadeia de Aço que aumenta os custos nas metalúrgicas que, por consequência, causam preços mais altos no setor imobiliário, que passa a vender casas mais caras. O custo de vida aumenta e puxa a inflação para cima, causando a alta de juros e o encarecimento de diversos produtos de mercados alheios ao problema. Em um mundo globalizado, uma grande disrupção dificilmente é localizada.


Como mitigar esses problemas


Existem algumas maneiras de se precaver do imprevisível, embora seja quase impossível evitá-lo. Para os problemas de matéria prima, a melhor estratégia é na diversificação de fornecedores e com a manutenção de um estoque de segurança. Depender 100% de um fornecedor, por mais barato que ele seja em relação à concorrência, pode ser vantajoso no curto prazo, mas geralmente se torna um problema no longo. Se possível, diversificar a geografia de localidade desses fornecedores para mitigar riscos ambientais e geopolíticos.Também é importante manter fornecedores aquém das suas capacidades produtivas. Fornecedores que estão com as fábricas cheias, rodando em três turnos, dificilmente conseguirão se recompor em casos de disrupção. O ideal é que esses fornecedores tenham margem de manobra para produzir mais, se necessário. 


Por último, prever tendências do mercado por meio de análise de dados avançada pode ajudar as empresas a se prepararem e minimizar o impacto negativo.


Na cadeia interna, a integração de sistemas de gestão de estoque com previsão de demanda é crucial. A visibilidade em tempo real dos níveis de estoque permite que os gerentes antecipem necessidades e ajustem os pedidos de acordo. O Next Generation MES oferece essa visibilidade em tempo real, ajudando a manter o equilíbrio ideal de estoque e evitando interrupções na produção.

Sistemas de gestão integrados como ERPs fornecem visibilidade e centralizam as informações para melhorar a tomada de decisão. Tecnologias como Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (IA) ajudam a prever problemas e monitorar em tempo real, e ferramentas como etiquetas RFID permitem rastrear mercadorias com precisão, enquanto a análise de dados pode prever gargalos e sugerir ajustes operacionais.


Com uma estratégia bem elaborada e uma abordagem proativa, é possível superar os desafios da cadeia de suprimentos, garantindo operações eficientes e proporcionando vantagem competitiva. Se você quer saber mais sobre como um sistema MES pode te ajudar, fale com um especialista agora mesmo!

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page